Wilson Nélio Brumer

Brasileiro, formado em Administração de Empresas pela Faculdade de Ciências Econômicas Administrativas e Contábeis – FUMEC – Belo Horizonte – MG, em 1975. Tomou posse como cônsul-geral honorário do Japão em Belo Horizonte no ano de 2012.

Iniciou sua vida profissional como frentista de posto de gasolina aos 16 anos, antes de ascender aos mais altos postos como empresário. Foi executivo da Vale de 1976 a 1992, onde atuou como CFO, CEO e Vice-presidente do Conselho de Administração. Fez parte do período pós privatização da Acesita, como CEO e Vice-presidente do Conselho de Administração, até 1998. Em seguida, na BHP Billiton, atuou como Presidente do Conselho de Administração no Brasil, até 2002.

Ocupou ainda posições estratégicas no governo do estado de Minas Gerais, no BDMG, INDI, CEMIG, CODEMIG e como Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, até 2007.

Assumiu a Presidência do Conselho de Administração da USIMINAS e logo a seguir a Presidência Executiva da Empresa até 2011.

Foi condecorado com a insígnia “Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro com Laço”, prestigiosa condecoração outorgada por Sua Majestade o Imperador Akihito em 29 de abril de 2018. Na ocasião, foi reconhecido por sua valiosa contribuição para fortalecer o relacionamento econômico e promover a amizade entre o Japão e o Brasil.

Atualmente é Presidente do Instituto Brasileiro de Mineração – Ibram.

Mensagem do Cônsul-geral Honorário

Desejo boas-vindas ao nosso site!

 

Meu nome é Wilson Nélio Brumer. Sou a segunda pessoa a exercer o ofício de Cônsul-Geral Honorário do Japão em Belo Horizonte, posição que muito me orgulha.

 

Apoiamos as pessoas que residem, visitam e convivem em nosso território nos temas diversos afetos ao Japão. Trata-se de um consulado honorário, no qual trabalhamos pelo fortalecimento da longa relação brasileira com o Japão por meio do atendimento não apenas aos japoneses, mas também aos brasileiros em nosso território que estejam interessados ou possuam laços com o Japão.

 

Acreditamos que nosso futuro comum, como estado e país, está no planejamento. Foi o que mais aprendi com os japoneses na área de administração e gestão empresarial. Para eles, planejamento não é carta de intenção, é ação. Sem ação, é assombração. Nesse sentido, Minas não tem de ser a projeção do Japão no Brasil. Mas, sim, o estado brasileiro com mais experiência, cultura e atração para as grandes, médias e pequenas empresas japonesas que queiram instalar-se aqui.

 

Nestes tempos indefinivelmente difíceis, esperamos que o mundo se recupere de forma rápida e que possamos celebrar a vitória sobre a pandemia do covid-19 nos Jogos Olímpicos de Tokyo em 2021.

 

É um prazer servir às nossas comunidades! Muito obrigado!